• grudermario

Pele no pós covid-19

Você percebeu que os problemas na pele aumentaram com o covid-19 ?

Você sentiu ou viveu alguma perda excessiva de fios de cabelo ou lesões na pele que nunca antes teve e que apareceram " do nada " ?

O artigo pretende elucidar uma questão abordada inclusive com destaque nos ultimos congressos e encontros de dermatologistas e especialistas ao redor do mundo todo nos últimos meses falando ou citando publicações e dezenas de casos com manifestações na pele relacionadas à gripe de covid-19 . Quer saber mais ? clique para ler .


A COVID-19 é uma doença infecciosa causada pelo coronavírus SARS-CoV-2 e tem como principais sintomas febre, cansaço e tosse seca. Outros sintomas menos comuns e que podem afetar alguns pacientes são: perda de paladar ou olfato, congestão nasal, conjuntivite, dor de garganta, dor de cabeça, dores nos músculos ou juntas, diferentes tipos de erupção cutânea, náusea ou vômito, diarreia, calafrios ou tonturas.

Qualquer pessoa pode pegar a COVID-19 e ficar gravemente doente. Para evitar a infecção, é fundamental se vacinar contra a COVID-19, com todas as doses necessárias, usar máscaras, higienizar as mãos e manter o distanciamento físico e os ambientes bem ventilados.​​​​​​


COMO A COVID-19 AFETA A NOSSA PELE?


Duas revisões científicas, uma publicada em junho e outra em julho deste ano, abordaram o tema lesões dermatológicas associadas à covid-19. De acordo com esses estudos, ainda que sejam consideradas manifestações incomuns da doença, as lesões cutâneas associadas ao novo coronavírus se desenvolvem alguns dias antes dos sintomas mais comuns da covid-19 e não têm relação com a gravidade dessa doença.

Essas lesões guardam semelhança com lesões de outras doenças dermatológicas causadas por vírus, podendo atingir pele, unhas e mucosas e se apresentando de diferentes formas: vermelhidão (mais comum), coceira intensa , manchas, bolhas, vergões etc, com distribuição variada pelo corpo.


É SEMPRE CULPA DA PRESENÇA DO VÍRUS?

Não, nem sempre as lesões de pele associadas à covid-19 são causadas diretamente pelo novo coronavírus, existem outras situações relacionadas ao contexto da pandemia que podem provocar problemas dermatológicos. O uso de certos medicamentos podem provocar reações na pele inesperadas, como no caso das chamadas farmacodermias (manifestações cutâneas decorrente da interação do medicamento com o organismo do indivíduo que apresente hipersensibilidade ou reação adversa). Assim, podendo causar vários efeitos adversos, como o surgimento de manchas avermelhadas na pele, com pequenas bolhas por todo o corpo.

Além disso, a pandemia trouxe uma mudança comportamental significativa: agora as pessoas se preocupam em lavar as mãos e passar álcool gel com mais frequência. Isso pode causar em algumas peles alergia aos agentes limpantes, com descamação e coceira.

Também, não podemos nos esquecer de que em um momento de pandemia em que as pessoas estão preocupadas o tempo todo, seja com sua saúde e com a saúde de entes queridos, seja com os efeitos da pandemia em sua vida social e econômica, o estresse é muito presente. Isso favorece o aparecimento de doenças de pele causadas por outros vírus, como os da família Herpesvírus, e queda repentina de cabelo, inclusive em mulheres.


COMO PREVENIR ?


A covid-19 é uma doença ainda muito recente para todos, assim persistem muitas dúvidas, inclusive sobre como abordar as manifestações de pele dessa doença. Dessa forma, devemos manter as recomendações de distanciamento social, higiene das mãos, uso de máscara e etiqueta respiratória. Também é bastante importante lidar bem com o estresse e ter cuidados básicos com a pele: hidratação e uso de sabonetes gentis para a lavagem de mãos. Se quiser saber mais sobre formas saudáveis de manejar o estresse, confira este assunto, em breve, também disponível no nosso blog!


Referências :


OPAS - Organização Panamericana de Saúde

MS - Ministério da Saúde



3 visualizações0 comentário